Dicas para escolher a melhor proposta de crédito habitação

Comprar uma casa ainda é o sonho da maioria das pessoas no mundo todo. Em Portugal é muito comum o crédito habitação. Porém, antes de escolher o melhor financiamento é preciso seguir algumas dicas.

Dicas para escolher a melhor proposta de crédito a habitação

Fique atento a todas as taxas – Um crédito habitação com um spread mais baixo não quer dizer que sairá mais barato para o cliente. É necessário ficar atento a todos os custos do empréstimo. Antes de escolher o melhor crédito, compare sempre a TAEG (Taxa Anual de Encargos Efetiva Global) e o MTIC (Montante Total Imputado ao Consumidor). Ou seja, o valor total que será pago ao final do empréstimo.

            Nas propostas de empréstimo para comprar uma casa com o mesmo valor em dinheiro e prazo. Então a proposta com a TAEG e MTIC mais baixos é aquela em que o cliente pagará menos juros com o financiamento.

Tenha cuidado com outros produtos – A instituição bancária pode oferecer ao cliente um spread mais baixo e outros custos reduzidos, caso ele adquira outros produtos. Porém, é necessário ter cuidado, porque esses produtos podem ter custos. Entre os oferecidos estão os cartões de débito ou de crédito. Pense bem antes de aceitar esses produtos.

            Se durante o empréstimo para a habitação, o contratante desistir dos produtos que adquiriu, a instituição poderá aumentar o valor do spread, de acordo com o que estiver previsto no contrato assinado. Entretanto, esse reajuste só pode acontecer no prazo de um ano. Após esse período o banco ou instituição não poderá aumentar o spread usando esse motivo.

            Informe-se com a instituição que disponibilizará o crédito sobre todos os custos e benefícios da aquisição de outros produtos financeiros juntamente com o crédito a habitação e o impacto no custo do financiamento, caso desista dos produtos durante a vigência do empréstimo.

Fique de olho no tempo para pagar o empréstimo – Quando se faz um empréstimo com um prazo muito longo para quitá-lo, as mensalidades são mais baixas e pesam menos no bolso. Já quando o empréstimo será pago em poucas parcelas, elas costumam ser mais altas. Embora a comodidade de pagar em muitas parcelas de valor baixo seja atrativa, é importante dizer que os juros poderão ser maiores.

            Para não ser prejudicado, compare as duas opções, tanto com muitas parcelas quanto com poucas parcelas. Para escolher a melhor opção calcule o total delas e veja quanto pagará ao final. Depois, pense bem e escolha o melhor para suas finanças.

Taxas de juros mista, fixa ou variável – No crédito para habitação é possível encontrar três tipos de taxas de juros, são elas:

Taxa de juros mista – Na vigência do contrato tem um período em que a taxa é fixa e depois ela se torna variável;

Taxa fixa – Ela é definida quando o contrato é assinado, o valor da prestação é sempre igual do início ao final do empréstimo. Geralmente essa taxa é maior do que a taxa de juros variável.

Taxa variável – Ela varia durante o crédito. A taxa de juros é a soma do spread e do indexante, sendo que a variação do indexante como a Euribor impacta no valor da prestação, ele pode aumentar ou diminuir a parcela no período do empréstimo.

Leia o contrato – Pode ser muito chato, mas é fundamental ler o contrato totalmente para depois não ter surpresas desagradáveis.

Deixe uma resposta